Teologia do Martírio - 2ª pregação do 30º Renasem

Padre Paulo Ricardo continuou a temática da Cruz com a pregação Teologia do Martírio, na tarde da terça-feira do 30º Renasem.

Sobre o martírio, o padre afirma que no século XX houve mais mártires cristãos do que em todos os séculos precedentes somados, a maior parte em países comunistas. Paradoxalmente, os católico perderam a espiritualidade do martírio, porque querem "abraçar o mundo", mas esta espiritualidade justamente exige a ruptura com o mundo.

Jesus fala em três sentidos para a palavra "mundo": a criação, as pessoas que hão de se converter e aqueles que claramente optaram pelo Mal. "O cristão não tem nenhuma opinião de cunho existencial em comum com  mundo", afirmou o padre. No entanto, ele esclareceu que, por causa do pecado, os cristãos acabam tendo opiniões mundanas.

Para o homem moderno, continua ele, só é possível ser cristão mudando a mentalidade materialista, abrindo-se à transcendência. Isso é fé, e ter fé é contrário à modernidade. Ele concluiu que um padre tem que ter pelo mundo um amor de querer convertê-lo, e estar disposto a morrer por isso. "A fé não é uma coisa pela qual nós matamos, mas algo pelo qual nós morremos", encerrou.

Ouça a pregação na íntegra clicando no link abaixo (você será redirecionado para a página de download)

Teologia do Martírio - Padre Paulo Ricardo (mp3 - 28,3MB - 01:01:55)