Do Comentário sobre a Carta aos Gálatas, de Santo Agostinho, bispo
(Nn.37.38: PL35,2131-2132)
          (Séc.V)

Forme-se Cristo em vós
Diz o Apóstolo: Sede como eu. Embora judeu por nascimento, desprezo em meu espírito
as prescrições segundo a carne. Porque também eu, como vós, sou homem. Em seguida,
com delicadeza, ele os faz reconsiderar sua caridade, para que não o tratem como
inimigo. Assim fala: Irmãos, suplico-vos, não me ofendestes em nada. Como se
dissesse: “Não julgueis que desejo ofender-vos”.

Por isto diz ainda: Filhinhos, para que o imitem como pai. A quem, continua, dou de
novo à luz até que Cristo se forme em vós. Fala principalmente na pessoa da santa mãe
Igreja, pois declara em outro lugar: Tornei-me pequenino entre vós, como mãe que
acalenta seus filhos.

No crente, Cristo se forma, pela fé, no homem interior, chamado à liberdade da graça,
manso e humilde de coração, que não se envaidece pelos méritos de suas obras, que são
nulas. Se ele começa a ter algum mérito, deve-o à própria graça. A este pode chamar seu
mínimo e identificá-lo consigo aquele que disse: O que fizestes a um dos mínimos meus,
a mim o fizestes. Cristo é formado naquele que recebe a forma de Cristo. Recebe a
forma de Cristo quem adere a Cristo com espiritual amor.

Disto decorre que, imitando-o, se torne o que ele é, na medida que lhe é possível. Quem
diz estar em Cristo, fala João, deve caminhar como também ele caminhou.

Visto como os homens são concebidos pelas mães para se formar e, uma vez formados,
são dados à luz do nascimento, surpreendem-nos as palavras: De novo dou à luz até que
Cristo se forme em vós. Temos de entender este novo parto como a aflição dos cuidados
que ele suporta por aqueles pelos quais sofre até que Cristo nasça. De novo sofre as
dores do parto por causa da sedução perigosa que os perturba. Semelhante solicitude a
respeito deles, que o faz dizer estar em dores do parto, pode continuar até que cheguem
à medida da idade perfeita de Cristo, de maneira que já não se deixem levar por todo
vento de doutrina. Não está solícito, portanto, em relação à fé inicial deles, pois já
haviam nascido, mas quanto a seu fortalecimento e perfeição. Assim é que ele diz: A
quem de novo dou à luz, até que Cristo se forme em vós. Com outras palavras refere-se
ao mesmo sofrimento: Os meus cuidados de todos os dias, a solicitude por todas as
Igrejas. Quem se enfraquece sem que eu também me torne fraco? quem tropeça, que eu
não me ponha a arder?