Não tenhais medo! Ele Ressuscitou! Aleluia!


Caros irmãos seminaristas, Cristo Ressuscitou, Aleluia! Aleluia!
Na Quarta-feira de Cinzas, a liturgia nos recordava: “lembra-te, ó homem, que és pó e em pó hás de te tornar” (Gn 3, 19). Nesse espírito de despojamento iniciamos o retiro quaresmal. Tempo de intensificar o jejum, a penitência e a oração. Durante quarenta dias seguimos os passos de Jesus no deserto. Quantas vezes cantamos: “eis o tempo de conversão, eis o dia da salvação, ao Pai voltemos juntos andemos, eis o tempo de conversão!”. De fato, a Quaresma é o tempo oportuno à conversão, de mudança de rota, de concertar os passos no caminho do Mestre.
Com a liturgia do Domingo de Ramos adentramos no mistério da “Semana Santa”, a grande Semana que expressa e justifica a nossa pertença a Igreja de Jesus Cristo. “Hosana, ao Filho de Davi! Bendito o que vem em Nome do Senhor! Hosana nas alturas!” (Mt 21, 9),  era o povo que com ramos nas mãos aclamavam Jesus. A entrada de Jesus em Jerusalém significa a subida do Filho do Homem ao lugar onde se doará totalmente por amor. Jesus entra no mistério de Sua Paixão. É um convite que a Igreja nos faz todos os anos, para junto com Jesus também adentramos no mistério do Seu Amor total. 
Chegamos, pois, ao Tríduo Pascal, Jesus que vive a experiência do servo obediente. Ele é o Filho muito amado do Pai: “Salve, ó Cristo obediente! Salve, amor onipotente, que te entregou à cruz e te recebeu na luz!”. Surpreende a Pedro e aos outros quando começa a lavar os pés dos seus discípulos, surpreende quando institui a Eucaristia: “Este é o meu Corpo! Este é o meu Sangue! Fazei isto em minha memória!” (1 Cor 11, 23-25). E assim, Ele foi condenado à morte e na Sexta-feira Santa contemplamos o mistério da Cruz e ao beijarmos o madeiro santo recordamos que dele “pendeu a Salvação do Mundo”. No Sábado Santo, durante o dia velamos em silêncio a morte de Jesus e aguardamos com expectativa o anúncio que mudará a história da humanidade: “Não tenhais medo! Sei que procurais Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui! Ressuscitou, como havia dito! Vinde ver o lugar em que ele estava. Ide depressa contar aos discípulos que ele ressuscitou dos mortos e que vai à vossa frente para a Galileia. Lá vós o vereis” (Mt 28, 5-7). Jesus está vivo! Aleluia! Ele venceu a morte, e por isso, as trevas não tem mais nenhum poder sobre a Luz!
Hoje, celebramos a Páscoa! Vejamos que, para chegarmos à Ressurreição foi preciso fazer esta peregrinação um tanto exigente. Neste dia Santo, gostaria de lançar uma reflexão para nós seminaristas: Qual o caminho que estamos percorrendo para chegar ao sacerdócio? Estamos obedecendo à sequência dos passos de Jesus? Não tenhamos dúvidas irmãos, que no decorrer da peregrinação em direção ao sacerdócio também passaremos por muitas tentações, muitos serão os zombadores, alguns nos perseguirão, alguém possa até vir nos oferecer vinagre como bebida, ou ainda, alguém nos bofeteei com palavras e mesmo com ações. Muitas vezes poderemos cair devido o peso da cruz, mas algum Cirineu deverá aparecer para nos ajudar. Muitas lágrimas poderão correr no nosso rosto, mas alguma Verônica aparecerá para enxugá-las. No entanto, devemos tomar muito cuidado para não acorrermos à tentação de invertermos os papéis e nos tornar também perseguidores e zombadores e sermos motivos de contenda e sinal de morte para o nosso próximo. 
Diante de tudo isso, alguém poderá até duvidar ainda do nosso chamado e nos provocará: “não és tu o escolhido de Deus? E passas por tudo isto? Porque não desistes?”. A tentação de abandonar a Cruz não significa a melhor escolha para aquele que Deus escolheu para a grande missão. Abandonar a Cruz seria a falência do SIM a Deus. O Senhor nos pede sempre mais! O Senhor nos pede um coração por inteiro e, junto, o nosso compromisso de discípulo fiel.  E mesmo diante das dificuldades que são inerentes ao cristão, não devemos desanimar jamais. A nossa resposta deverá ser sempre esta: “Não tenhais medo! Ele Ressuscitou! Aleluia!”. No Senhor está a nossa força!  
Hoje é Páscoa! Dia de júbilo! Dia de Festa! “O dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e N’Ele exultemos!” (Sl 117). Com a passagem das trevas para a luz, do homem velho para o homem novo, necessário nós é, o auxílio do Espírito Santo! Somente aqueles que se deixam guiar pela luz do Espírito permanece em Cristo e estes deverão fazer coisas grandiosas. Portanto, peçamos o Espírito de Deus: “Vinde, Espírito Santo!” E não tenhamos medo, pois, a nossa vitória está em Cristo, no qual depositamos toda a nossa fé! Eu creio que em Cristo seremos todos vitoriosos porque da morte Ele nos resgatou! Somos novas criaturas e hoje já gozamos da alegria do banquete nupcial do Cordeiro. Amém!

Feliz e Santa Páscoa!


William Francisco da Silva 
Seminarista da Diocese de Caruaru – PE 
Coordenador Nacional do Ministério para Seminaristas – RCC Brasil