Ide, sem medo, comunicar!

Vivemos em um mundo denominado por muitos de “era digital”. Um meio permeado de inovações tecnológicas que cada vez mais estão a nos surpreender. Inseridos neste contexto, também nós, cristãos, temos o dever de testemunhar a Cristo nestas realidades.
Somos atualmente convidados a discernir até onde vai o progresso da comunicação, tomando todo cuidado para não tornar tudo em regressão. Falando em um meio digital, basta um click e você pode viajar para longe, em questão de segundos está mergulhado no mais profundo poço de informações e novidades. Contudo, no ato desse mergulho, devemos sempre estar protegidos pelos olhos de Deus, para que este passeio que iniciamos seja fruto de um profundo desejo do Senhor, principalmente quando ao longo desta viagem encontramos pessoas e temos a oportunidade de evangelizar. Se descuidarmos desse detalhe, podemos fazer dessa ferramenta um meio de regresso, tendo como resultados o afastar-se de Deus e das pessoas que gostamos.
Celebraremos no próximo domingo, Ascensão do Senhor, o XLVIII Dia Mundial das Comunicações Sociais e, na mensagem para esta ocasião, o papa Francisco leva-nos a refletir que a internet pode ser vista como Dom de Deus, quando utilizada para promover a cultura do encontro. O mundo apresenta diversas estradas, nas quais a Igreja tem o papel de estar inserida, pois ao longo destas estradas estão as pessoas, que necessitam de um encontro. Para isso, a internet é atualmente o meio mais rápido e eficaz, sendo uma grande ponte entre pessoas.
Um dos grandes mandatos de Jesus a seus discípulos podemos encontrar em Marcos 16, 15, no ato do “Ide!”. Naquele momento Jesus oferece aos seus discípulos uma grande oportunidade de viver a cultura do encontro, pois está enviando-os para, sem medo, comunicar tudo aquilo que o Pai revelara por Ele. O ir sem medo é a ferramenta que temos para fazer valer o anseio do Santo Padre quando diz: “entre uma Igreja acidentada que sai pela estrada e uma Igreja doente de auto-referencialidade, não hesito em preferir a primeira”, e ainda “no contexto da comunicação, é precisa uma Igreja que consiga levar calor, inflamar o coração”.
Amados irmãos, estamos hoje sendo grandes instrumentos de Deus para torná-lo conhecido e amado. Estamos sendo convidados a, sem medo, ir comunicar as maravilhas de Deus a todos os cantos da terra. Comunicar é tornar-se próximo e, comunicando unidos, comunicamos como Igreja, fazemos a Igreja estar próxima daqueles que dela mais necessitam. Neste grande ato de comunicar levamos a experiência de um encontro verdadeiro que muitos esperam.
Tudo aquilo que temos em termos de comunicação social não é somente fruto da tecnologia, mas antes é obra humana e que está a serviço de nós mesmos. Com isso, a Igreja só tem a ganhar, mas precisa de nós, cristãos desejosos de uma Igreja viva e acolhedora e que luta incessantemente para isso.
Avante! Não tenhamos medo de ser cristãos do ambiente digital. Transmitamos as belezas de Deus por todos os meios que o mundo oferece. Somos instrumentos de Deus no mundo.

Rodrigo Ribas
Seminarista da Diocese de Ponta Grossa – PR
Coordenador da Comissão para a Comunicação do Ministério para Seminaristas - RCC Brasil.





Imagem: internet.